Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi




A _ cor _ dar , é preciso !


sexta-feira, outubro 31, 2008

Côr da ... invisibilidade .


O final não tão violento , mas toda a restante situação ... " sem tirar nem pôr " !
O Sr. Simon Tofield , deve ter o dom da invisibilidade , e de quando em vez , vir cá a casa
!

quarta-feira, outubro 29, 2008

Côr de estrangeira .

Exerço
muitas vezes o ofício de estrangeira,
com pouca fé de que na impossibilidade da lingua,
se entenda , a natureza dos meus gestos
!

Marta Chaves _ in Criatura _

domingo, outubro 26, 2008

Côr de José Cardoso Pires .



_ 2 de Outubro 1925 _ 26 de Outubro 1998 _ .
_ Janeiro de 1995 , quinta- feira.

Em roupão e de cigarro apagado nos dedos, sentei-me à mesa do pequeno almoço onde já estava a minha mulher com a Silvie e o António que tinham chegado na véspera
de Portugal./
Sinto-me mal , nunca me senti assim, numa fria tranquilidade.
Silêncio brusco.
Eu e a chávena debaixo dos meus olhos.
De repente viro-me para a minha mulher : " Como te chamas " ?
Pausa . " Eu ? Edite " . Nova pausa . " E tu ? "
Parece que é Cardoso Pires " , respondi então .



José cardoso Pires _ De Profundis, Valsa Lenta _ .

Um homem , e escritor , ...que eu gosto !

sábado, outubro 25, 2008

Côr de normalidade .



Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim, não interessam os bons de espírito nem os maus de hábito.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e aguentem o pior de mim.
Para isso só sendo louco.
Quero os santos para que duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto não sabe sofrer junto.
Não quero risos previsíveis nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças para que não esqueçam o valor do vento no rosto, e velhos para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril .!

Oscar Wilde

quinta-feira, outubro 23, 2008

Côr de Agora .



_ Muitos não sabem que o fracasso é o outro rosto do triunfo, que a doença é a irmã próxima da saúde, que o futuro é tão antigo como o passado, que a morte é o segundo nome da vida
e
ignoram , ainda , que o homem não é mortal porque morre , mas morre porque é mortal _

Excerto de uma crónica escrita por José Manuel dos Santos no jornal _ O Actual _

A crónica é básicamente dirigida a um determinado grupo, que até há pouco tempo era conhecido por yuppies .
Mas eu vou um pouco mais longe.
Ela servirá , também , para certa camada de gente , de ambos os sexos, que ainda não se apercebeu que egos inflamados e o atirarem á cara dos mais velhos a sua , pouco sábia , juventude , não a torna eternamente jovem ou até mesmo imortal.

E
Talvez o pior ... não permite , que os os velhos a torne ... fiel depositária do seu saber.
E
quanto a mim , essa forma de estar é que nos impede _ o ser livres _ .!

terça-feira, outubro 21, 2008

Côr de alterar .

Quando
olharmos para nós como se fossemos outro Ser,
perderemos
a necessidade de ser únicos ... .
!

domingo, outubro 19, 2008

Côr de F. Garcia Lorca / Leonard Cohen .



_ Mais perigoso com a caneta que com uma arma _
Calaram-lhe a caneta ... porém ... o poeta e a poesia são eternos !

sexta-feira, outubro 17, 2008

Côr de aforismo .


Todos
nós temos momentos futuristas ,
como
quando , por exemplo , tropeçamos numa pedra !

Fernando Pessoa

quarta-feira, outubro 15, 2008

Côr de olhos mutantes .



Ó decerto, são os olhos cinzentos/ o que primeiro se deseja,
parecem/ poder mudar de cor, conforme o tempo/

é a forma do rosto que transforma/ as coisas mais banais em precipícios/ onde a luz cai como uma neve fina/ depois o ágil sangue de palavras/ tão duras como o foi a madrugada/ quando cantou em vão ave de agoiro/ as pupilas da carne, entreabertas/ num distraído gesto, quase terno,/ quase de amor talvez, em outra lenda/ é o sopro da pele o que procuro/ o muro humano onde partilhe o tempo./



António Franco Alexandre ( excerto de poema )



Há dias deixaram-me _ chamando -lhe presente _ este belo exerto de poema .
Quem o fez não sabe o quanto tem a ver comigo o acima escrito.( ou saberá ?! )

Se me quizessem retratar _ mesmo a nivel facial _ talvez não o fizessem melhor !!!

Coisas da vida. ... E como não acredito no acaso , e estou aberta ao que possa surgir, mesmo que esse surgir não tenha sido própriamente pacífico ... e não passe deste momento,
aqui estou a agradecer o _ " presente " _ e , também à Existência que tudo permite .



Vale ? Para mim , Vale ... Sempre !

segunda-feira, outubro 13, 2008

Côr de yawp .


Não se iludam
Se acreditam que quem clama por calma e silêncio, não tem o seu momento de soltar o barbaro grito .
E o seu yawp tem mais consistência, na medida em que é lançado, apenas , de quando em vez
!

sábado, outubro 11, 2008

Côr de fadiga d' alma .



Se
encontrar a outra asa ,
vou tentar passar estes dois dias naquele sítio ... sim , aquele onde com um dedo se toca no céu.
Onde as estrelas são a única claridade , durante a noite.
Onde reina o silêncio e a paz.
Onde o cansaço desaparece , como por encanto.
Onde não é necessário falar. Entendemo-nos , todos , através da alma e do coração.
E sobretudo , onde podemos comer todas as espécies de frutos , sem sermos expulsos deste paraíso.

É pena ser necessário asas para lá chegar.
Mas acredito que encotrarei a que me falta , porque a Existência sabe que só lá existe o conforto para esta tão imensa fadiga .!

sexta-feira, outubro 10, 2008

Côr de ... superioridade na humildade .

" Humilhando-te , humilho-me a mim mesmo "

Numa determinada cultura e tradição Africana , o maior elogio que se pode fazer a alguém é reconhecer que possuí a espantosa qualidade ... o ubuntu .
Entre as variadíssimas caracteristicas que possuí _ ser amistoso , gentil , carinhoso , caridoso ... _ a mais importante , para mim , é ... _ não se sentir ameaçado pelas características dos demais, sobretudo as consideradas positivas , porque a sua auto - estima é produto da
consciência de que pertence a uma dimensão superior , onde todos existem .

Alguém que assume que é através de tudo o que o rodeia.

Que não há os mais e os menos.

Que cada um de tem o seu lugar e seu motivo de existir.



Inspirada na nota introdutória de um livro sobre Mahatma Gandhi

quinta-feira, outubro 09, 2008

Côr de subtil .


Uma força´
é tanto mais eficiente quanto mais silenciosa
e
subtil for !

Mahatma Gandhi

quarta-feira, outubro 08, 2008

Côr de musicus .



O homem
que toca a música , que toca o homem

não é músico.

O homem
que toca a música , que toca o homem
é
místico !

Paulo Teixeira Pinto

segunda-feira, outubro 06, 2008

Côr de perigo .



A
Sociedade perdoa , muitas vezes , ao criminoso .
Nunca
ao sonhador !

Oscar Wilde

É que os sonhadores ... são mais perigosos ... !

domingo, outubro 05, 2008

Côr de préstimo .



Um gato
Não serve , realmente , para nada.
Vão quase seis séculos , desde o tempo das caravelas , onde embarcou com os marítimos , para extermímio dos roedores.
Agora só o dorso oferece às carícias
ou
ao regaço o peso do pequeno corpo , ronronando
agrata beleza de existir .

Inês Lourenço

Mas oferecer ao mundo " a grata beleza de existir " ... é um Grande Serviço !

sábado, outubro 04, 2008

Côr de dia do Animal ( dito irracional ) .

É uma honra ter nascido entre duas datas importantes ...

dia 2 _ nascimento de Mahatma Gandhi _

dia 4 _ presumível falecimento de Francico de Assis , Santo _.

Ambos possuindo e lutado por valores que me tocam .

Obrigada ,
por existirem !

sexta-feira, outubro 03, 2008

Côr de olhos verdes , como a Mãe .


anos atrás , neste dia,
estes olhos abriram-se para o mundo.
Já viram de tudo um pouco , como quaisquer outros olhos.

Andam um nadinha tristes com certas coisas que vão observando .
Talvez
Porque o seu companheiro coração , ame , com muita intensidade a Vida !

Daí
. . . " gracias a la vida " ...
gracias a la vida - violeta parra

quinta-feira, outubro 02, 2008

Côr de nomen



O
Verdadeiro nome
de qualquer homem
é
o verbo composto por todas as letras que leu , escreveu e disse ,
durante
a sua vida
inteira
!


Paulo Teixeira Pinto

quarta-feira, outubro 01, 2008

Côr de for a few dollars more .


Para um amigo que ama cavalos
e
Para outro , que tem um , como
inquilino. !