Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi




A _ cor _ dar , é preciso !


domingo, agosto 29, 2010

sábado, agosto 28, 2010

Côr de transfiguração .



*

Quando chegou à beira do oceano fulgurante ,
parou para chorar . Revestiu - se de ornamentos ...
o adereço de plumas de quetzal , a máscara de turquesas .
E assim adornado , subiu a uma pira e lançou - lhe fogo ,
ele próprio o lançou , e cercaram -no as labaredas ...
e por isso que se chama Fogueira
ao lugar onde Quetzalcátl foi queimado .

E quando ardia e as cinzas ascendiam no ar ,
vieram vê-lo as aves ... guacamayas vermelhas ,
o brusco estorninho , o pássaro azulejo ,
piriquitos , papagaios amarelos ,
o pássaro branco que brilha ,
vieram vê - lo os pássaros sumptuosos .

Quando se extinguiu o fogo , subiu ao céu
e nele entrou o coração divino ,
e tornou -se a Estrela de Alva ,
a estrela que aparece primeiro . E ela apareceu ,
ela nasceu da morte do deus queimado .

Por isso é que o chamamos « Aquele Que Reina sobre a Aurora »

E ninguém o viu durante quatro dias ,
durante quatro dias ele desceu ao Reino dos Infernos ,
durante quatro dias ele conquistou muitos raios ,
e oito dias passados surgiu como um astro maior .

E agora reina .

Poema Azteca
_ Rosa do Mundo , 2001 poemas para o futuro _

*
*
Para Noslen ed Azuos .

sexta-feira, agosto 27, 2010

quinta-feira, agosto 26, 2010

Côr de apelo .


*
Caro Professor ,

Sou um sobrevivente de um campo de concentração.
Os meus olhos viram o que jamais olhos humanos deveriam poder ver ...

_ Câmaras de gás construídas por engenheiros doutorados .
_ Adolescentes envenenados por físicos eruditos .
_ Crianças assassinadas por enfermeiras diplomadas .
_ Mulheres e bébés queimados por bacharéis e licenciados.
Por isso desconfio da Educação.

Eis o meu apelo ...
Ajudem os vossos alunos a serem Gente.
Que os vossos esforços nunca possam produzir monstros instruídos , psicopatas competentes , Eichmanns educados .
A leitura , a escrita , a aritmética só são importantes se tornarem as nossas crianças mais humanas.

Carta de um sobrevivente do Holocausto , ao director do New York Times.
*
*
Não sei da veracidade desta carta [ foi - me enviada por
e - mail ] .
Porém , resolvi postá - la , porque podendo não o ser , o descrito nela ... ... foi !
E o apelo , mais que isso , é um grito que não podemos de deixar de escutar .

terça-feira, agosto 24, 2010

quarta-feira, agosto 18, 2010

Côr de Oração Simples .


/
Num dia longínquio tinhamos estados todos nus , desarmados , frágeis .
Nesse dia , o nosso olhar tinha sido o mesmo . Um olhar olhar desprovido de preconceitos , brilhante de alegria .
Havia algo de pungente nessa imagem . Afinal , pensei enquanto subia o monte , para se deixar de odiar , bastaria ver as pessoas assim .
Comoção e compaixão .
Comoção pela nudez , compaixão pela fragilidade .
A mesma comoção e compaixão que sentia por todas as existências que continuavam a ignorar-se a si mesmas .
/
Crescer não significa esquecer o estado de recém nascido , mas reassumi - lo .

Quando cheguei ao cimo do monte , o vento começou a soprar e a temperatura desceu .
Lá em cima percebi que a morte já não me metia medo , porque morte e vida são duas formas de existir .
De repente o vento parou e começou a nevar .
Então , decidi voltar .
Pouco antes do convento , encontrei um veado com umas astes enormes . Roçava o pescoço e o focinho contra a casca de uma arvore . Julgava que ia fugir , ao ver - me , mas ficou quieto . Tinha uns olhos extraordinariamente negros e brilhantes . Não tinha medo , no seu olhar não havia julgamento ou desafio , observava - me apenas .
_ Os homens gostam de matar os animais porque têm inveja da sua graça natural _ dissera - me uma vez a irmã Irene .
Quando o veado se mexeu , pensei que ela tinha razão . Havia uma Graça no mundo vivo , e o homem fazia tudo para ser excluído dessa Graça .
/
Fiquei junto da irmã toda a tarde e toda a noite .
No dia seguinte , satisfazendo as suas ultimas vontades ,
envolvi - lhe o corpo num pano branco .
Tive que tirar com a pá alguma neve antes de chegar à terra , e alguma terra antes de conseguir sepultá - la .
Ela tinha - me dado uma folha de papel para eu ler . Era a oração simples de S . Francisco .
Quando li ... ... _ é - se perdoado .
Morrendo , ressuscita - se para a verdadeira vida _
a neve voltou a cair .


Susana Tamaro _ A alma do Mundo _

segunda-feira, agosto 16, 2010

Côr de bilhete a Deus .


*
Meu Pai , meu Filho , meu Espirito Santo .

Estendo as mãos à caveira da noite , e a criatura que sou consome - a a areia de vidro do tempo . Nada digo que não te pertença , nada escrevo que não corra à eternidade .
De cada vez que caio subo mais alto , e ao reencontrar - te , voo acima de mim mesmo . Aquieto - me contigo , com o pão e o vinho , e não há luz que pese como o absoluto cristal do ar .
Mas quando o teu rosto se afasta , e a treva se desdobra , o Mundo fica um caroço de mágoa que endurece no lugar do coração .
Livra - me da tua ausência . Fica comigo enquanto o dia acaba .

Mário Cláudio ( escritor ) _ Cartas a Deus _

quinta-feira, agosto 12, 2010

Côr de ... cortar a direito .



Os amigos recordam - no , saudosos , como um homem recto , cidadão que , face a contrariedades , não perdoava ...
Se os calos o magoavam , vik ! Se lhe doíam os dentes , vuk !
A ultima vez que foi visto , queixara - se de uma leve dor de cabeça .

*
Augusto Baptista _ O homem que _

terça-feira, agosto 10, 2010

Côr de alegre serenidade .


O bailado ,
acompanhado dos seus tão peculiares gritos , demonstrando alegria , pela chegada de um barco pesqueiro .


Fazendo pose ,
sem qualquer medo da câmara .