A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

quarta-feira, fevereiro 14, 2018

segunda-feira, fevereiro 12, 2018

Côr de a meu favor
























A meu favor tenho o teu olhar
testemunhando por mim
perante juízes terríveis . . .
a morte , os amigos , os inimigos . 


E aqueles que me assaltam
à noite na solidão do quarto
refugiam-se em fundos sítios dentro de mim
quando de manhã o teu olhar ilumina o quarto .

 
Protege-me com ele , com o teu olhar ,
dos demónios da noite e das aflições do dia ,
fala em voz alta , não deixes que adormeça ,
afasta de mim o pecado da infelicidade . 









Manuel António Pina
imagem  _   Redmer   Hoekstra

quinta-feira, fevereiro 01, 2018

Côr de lua surda

















A
lua  morria  de  vontade de  visitar  a  terra .
Depois  de  muito  hesitar ,  deixou - se  cair .
Tinha  vindo  só  por  um  bocado ,  mas  ficou  presa  na  copa  de  uma  árvore  quando   iniciou  a   viagem  de  regresso   ao  céu .
A  lua  pensou  que  nunca  mais  se  iria  libertar  daquela  prisão  de  ramos e sentiu - se  horrivelmente  sózinha ,  mas   teve  a  sorte  de  ver  aparecer   um  lobo ,  vindo   das  profundezas  da   selva , e  o  lobo  passou  toda  a  noite  a  brincar  com  ela ,  acariciando - a  com  o  focinho ,  fazendo - lhe  coceguinhas  na  branca  barriga  e  contando -  lhe  anedotas  que  nem  eram   nada  más  .
Pouco  antes  do  amanhecer ,  o  lobo  ajudou - a   a  libertar - se  da  ramagem ,  e  a  lua  partiu ,  céu   acima .
Mas   não  foi   sozinha   . . .   tinha  roubado  a  sombra  ao  lobo, para que ele nunca mais  se  esquecesse daquela noite compartilhada.
Por  isso  o  lobo  uiva .
Está  a  suplicar  à  lua   que  lhe  devolva  a  sombra  roubada .
A  lua  faz -se  de  surda  .





Eduardo  Galeano  _  O  caçador  de  histórias  _
imagem  _  Michael   Parkes  _ 

terça-feira, janeiro 30, 2018

domingo, janeiro 28, 2018

Côr de terceira miséria

























terceira miséria é esta, a de hoje.

A de quem já não ouve nem pergunta.
A de quem não recorda. 

E , ao contrário
Do orgulhoso Péricles , se torna
num entre os mais , num entre os que se entregam ,
nos que vão misturar-se , como um líquido ,
num líquido maior , perdida a forma ,
desfeita em pó ,   a estátua.











Hélia Correia _   A Terceira Miséria  _

imagem  _   Paola  Grizi  _