A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

quinta-feira, dezembro 29, 2011

Côr de novo ano




















Para   Todos ,
neste   novo   ano  . . .   . . .

quarta-feira, dezembro 28, 2011

segunda-feira, dezembro 26, 2011

domingo, dezembro 25, 2011

Côr de Jesus


















Jesus
está    em   nós ,  diáriamente ,  em  forma  de Luz  ,  Calor   e   Vida .
Nasce  ,  todos  os   anos ,  para  tentar   penetrar    nos   corações  ainda   resistentes .
E   tentará   até   que  todos  os homens    O  tenham   em   si  ,   e   aconteça   a  tão  necessária   e  desejada   Fraternidade   Humana  .
Oxalá !




imagem _  ?  _

quarta-feira, dezembro 21, 2011

terça-feira, dezembro 20, 2011

sábado, dezembro 17, 2011

sexta-feira, dezembro 16, 2011

Côr de . . . a minha alma



















Minha alma tem o peso da luz . Tem o peso
 da música .
 Tem o peso da palavra nunca dita , prestes quem
sabe  a ser dita .
Tem o peso de uma lembrança . Tem o peso de uma saudade . Tem o peso de um olhar . Pesa como pesa
 uma ausência .  E a lágrima que não se chorou .

Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros .




Clarice Lispector
Naoto  Hattori

quarta-feira, dezembro 14, 2011

domingo, dezembro 11, 2011

sábado, dezembro 10, 2011

Côr de laço


















Meu Deus !  
Como é engraçado  …
Eu  nunca  tinha reparado  como  é  curioso  um  laço  .
Uma  fita  dando  voltas ?
 Se enrosca  …
Mas não se embola , vira , revira , circula . . .  e pronto   está dado  o  abraço .
É assim que é o abraço  . . .    coração com coração , tudo  isso cercado de braço .
É assim que é o laço . . .  um abraço no presente , no cabelo , no vestido ,  em qualquer coisa onde o faço .
E quando puxo uma ponta , o que é que acontece  
Vai  escorregando  devagarinho , desmancha , desfaz o abraço .
Solta o presente , o cabelo , fica solto no vestido .
E na fita que curioso ,  não faltou nem um pedaço .
Ah !
Então é assim o amor , a amizade. Tudo que é  sentimento  ?  Como um pedaço de fita ?
Enrosca , segura um pouquinho , mas pode se desfazer a qualquer hora , deixando livre as duas bandas do laço.
Por isso é que se diz . . .  laço afetivo , laço de amizade .
E quando alguém briga , então se diz  _   romperam-se os laços  _
E saem as duas partes , igual  meus  pedaços de fita , sem perder nenhum pedaço .
Então o amor é isso  .  .  .
Não prende , não escraviza , não aperta , não sufoca .
Porque  quando  vira nó ,  já deixou de ser um laço .






Maria  Beatriz  dos  Anjos

domingo, dezembro 04, 2011

sábado, dezembro 03, 2011

Côr de Mundo













Um homem da aldeia de Neguá , no litoral da Colômbia , conseguiu subir ao céus .
Quando voltou , contou . . .
Disse que tinha contemplado , lá do alto , a vida humana . E disse que somos um mar de fogueirinhas.
_ O mundo é isso  _   revelou . _ 
Um montão de gente  ,  um mar de fogueirinhas.
Cada pessoa brilha com luz própria entre todas as outras. Não existem duas fogueiras iguais. Existem fogueiras grandes e fogueiras pequenas  , e fogueiras de todas as cores.
Existe gente de fogo sereno , que nem percebe o vento , e gente de fogo louco , que enche o ar de chispas.
Alguns fogos , fogos bobos , não alumiam nem queimam  .   Mas  outros incendeiam  a  vida com tamanha  vontade que é  impossível  olhar  para eles sem pestanejar , e quem  chegar  perto   pega fogo .





Eduardo  Galeano  _  O livro  dos  abraços  _
Thomas  Klevjer

segunda-feira, novembro 28, 2011

sábado, novembro 26, 2011

Côr de maior sossego


















Qual o maior sossego ?

O do homem   que   já   não   espera   nada   dos   homens . . .




Amado  Nervo .
RUDOLF   HAUSNER

quinta-feira, novembro 24, 2011

Côr de crença



















No primeiro dia de aula , o professor trouxe um vidro enorme  . . .
 _  Isto está cheio de perfume  _ disse a
Miguel Brun e aos outros alunos  .
Quero medir a percepção de cada um de vocês. Na medida em que sintam o cheiro , levantem a mão .
E abriu o frasco .
Num instante ,  já havia duas mãos levantadas . E logo cinco , dez , trinta , todas as mãos levantadas .
_  Posso abrir a janela, professor ? _   suplicou uma aluna , enjoada de tanto perfume , e várias vozes fizeram eco . O forte aroma , que pesava no ar , tinha-se tornado insuportável para todos .
Então o professor mostrou o frasco aos alunos , um por um .
Estava cheio de água.




Eduardo Galeano _ O livro  dos   abraços _
Niki   Saint  Phalle

domingo, novembro 20, 2011

sábado, novembro 19, 2011

Côr de frieza


























Dormirás tranquilo , aninhado no conforto da  falta         que eu te faço.
Os teus órgãos arrefecem . . .


_  há quanto tempo não te arde o coração ? _





Eduardo  Galeano  _  O livro  dos abraços _
Juan  B.  Nieto

quinta-feira, novembro 17, 2011

Côr de pergunta











. . .   e pergunta Passos Coelho a Vitor Gaspar ...
_   que me dizes enviarmos as Boas Festas a todos os
contribuintes  , desejando
-lhes um próspero ano de 2012
?  _

sábado, novembro 12, 2011

Côr de inteiro



















Uma
vez   compreendida   a    beleza  da  solidão ,  ela       torna - se um  estar  sozinho .
Então  já  não  é  vazia ,  então  já  não  é  solidão .
Então   tem  pureza  .  É  tão  pura  que  não  se  define .
A   solidão   é   uma   ferida .  A   solidão   significa  que  se  sente  falta  de  outra   pessoa .  O  outro   não   está  lá  e  sentimo - nos  sós .
Quando  a   necessidade   do   outro   desaparece  e  não   atormenta  mais   os  nossos   sonhos  ,  começamos  a   estar   contentes  connosco ,  a  desfrutarmo - nos .
Passamos   a   estar   em  sintonia  com   o  nosso  ser .
Estamos   inteiros . . .




imagem  _  Agnés  Boulloche _

quinta-feira, novembro 10, 2011

segunda-feira, novembro 07, 2011

sexta-feira, novembro 04, 2011

Côr de ... só quem sente



















O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa , que mantenho com muito zelo e dedicação , mas na verdade acredito que é ela quem me mantém .

Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam . . .


Mulher não pode ser mantida em cativeiro .
 Se for engaiolada , fugirá ou morrerá por dentro.

Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA . Você jamais terá a posse de uma mulher , o que vai prendê-la  a  você é uma linha  frágil que  precisa  ser  reforçada diariamente.


 Mulher vive de carinho . Dê-lhe em abundância . É coisa de homem , sim , e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um 'eu te amo' no café da manhã as mantém viçosas  e  perfumadas  durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não  a  deixe  desidratar.


Por insegurança , a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso , procuram aquelas que fingem não possuí-lo ( e algumas realmente o aposentaram  ). Então, aguente mais      essa     . . .  mulher sem cérebro não é mulher , mas um mero objeto de decoração . Se você se cansou de colecionar bibelôs , tente se relacionar com uma mulher . Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas , aprenda com elas e cresça. E não se preocupe ,  ao contrário do que ocorre com os homens , a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.


Não faça sombra sobre ela
Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado , nunca atrás. Assim , quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado.
Aceite ,  mulheres  têm luz própria e não dependem de nós para brilhar . O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que , preservando e cultivando a mulher , ele estará salvando a si mesmo.


É , meu amigo , se você acha que mulher é caro demais       . . .


Só tem mulher quem pode !


Luiz Fernando Veríssimo
Gianni  Strino


Eu    diria   . . .   Só   tem   mulher   quem   sente .  . . !

terça-feira, novembro 01, 2011

Côr de Pai





Continuo   a   oferecer - te  música ,
porque
as   flores   devem  viver   nos  jardins.
[   palavras  tuas   ]

sexta-feira, outubro 28, 2011

Côr de crisálida
















As
almas  não  têm  idade .
/
Não  somos  mais  ,  na  vida  de  ontem  e   na  de  hoje  que   as  sucessivas  metamorfoses ,  diferentemente  adaptadas  do  mesmo  ser  astral .
O  homem  é  uma  crisálida  que   se  lembra . . .



Mário de  Sá  Carneiro _  excerto de  A  estranha  morte  do  Professor  Antena
Felix   Mas

terça-feira, outubro 25, 2011

Côr de ... o plantio é livre






























Este alerta está colocado na porta de um espaço terapêutico


O resfriado ocorre quando o corpo não chora.
A garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
Os diabetes invadem  quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
O coração enfarta quando chega a ingratidão.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a  criança interna tiraniza.


O plantio é livre . A colheita , obrigatória .



Sua saúde e sua vida dependem de suas escolhas !


Escolha ser feliz !

_  Faça  o  que  for  necessário  para  ser  feliz.  Mas  não  se  esqueça  que  a  felicidade  é  um sentimento  simples , você  pode  encontrá-la  e  deixá-la  ir  embora ,  por  não  perceber   sua     simplicidade _ .


Mário Quintana
imagem _  Catherine  Alexandre

sábado, outubro 22, 2011

Côr de gargalhar !!!















...  nós   bem   o   sabemos ... a   gargalhada   destroi   tudo ,  não  responde   por   coisa   alguma /
é   o  único   comentário  politico   em   Portugal .
/
Politica   querida  sê   o   que   quiseres ,  toma   todas    as   atitudes  ...  pensa  ,  ensina ,  discute  ,  oprime  ...  nós   riremos .
A   tua    atmosfera   é   de   chalaça !
Tu   és   filha  de  um   dichote   que   casou   com   uma   pirueta !


Eça  de  Queirós  _  Uma Campanha   Alegre _
Juan   Munoz


Porém  ,     momentos   há  ,  em   que   o  riso   existe  para   aguentar   a  zanga  e   as   lágrimas ...

domingo, outubro 16, 2011

Côr de coelhinho





... é ...  comeu   ...  ...  a  Mãe  ...

Côr de ais !





Ai os ais deste País !

sábado, outubro 15, 2011

Côr de . . . tinham tudo para dar certo




















 Não
te quero  perder    . . .
 não  me  percas   . . .  disse ela .
Mal  o  tempo  virou  uma  esquina ,   perderam - se   um   do   outro ,   porque . . .
Há  encontros  que  já  nascem  perdidos !





imagem  _  Irina  Karkabi  _

segunda-feira, outubro 10, 2011

sábado, outubro 08, 2011

Côr de trilhos






























/
Os   dias  não  são  apenas  uma  atropelada  cavalgada  que   nos  atordoa  .
Precisamos  de  um  fio  condutor  ,  precisamos  de   trilhos  para   o   significado  .



José  Tolentino  de  Mendonça  _  Pai -  Nosso  que   estais  na   Terra  _  
imagem  _   ?  _

quarta-feira, outubro 05, 2011

Côr de 5 de Outubro

Dia
 da   implantação  da

Republica ... Res Publica ... Coisa Publica ?!

terça-feira, outubro 04, 2011

Côr de animal

















A
grandeza   de uma   nação   pode  ser   julgada   pelo   modo   que seus   animais   são   tratados.


Mahatma Gandhi

segunda-feira, outubro 03, 2011

Côr de dia 3




















No
tempo em que festejavam o dia dos meus anos ,
eu era feliz  ,    ninguém  estava   morto  !




Alvaro   de    Campos

domingo, outubro 02, 2011

Côr de Helena





Só ,
deixaste de ser vista . . .

Mesmo assim , choramos ...  porque  Ela   veio  sem  ser  chamada  e  muito  menos ,  anunciada !

sábado, outubro 01, 2011

Côr de água















[ . . .  . . . ] 




imagem  _  Teun  Hocks  _

Côr de musica




















Era   um   mago   da   harpa .  Nos  altipanos   da  Colômbia   não   havia   festa   sem  ele . Para   que  a  festa  fosse  festa Mesé  Figueiredo   tinha   de   estar   ali .
Certa  noite ,  num  camino  deserto ,  os   ladrões  o   assaltaram  . Ia   Mesé  Figueiredo  ,  em  lombo  de  mula  ,  a  uma   festa  de  casamento .
Numa  mula  ia  ele  ,  na  outra   a   harpa .
No  dia  seguinte  alguém  o   encontrou .  Estava  atirado  no   chão  ,   mais   morto  do  que  vivo .
E   então  aquele   farrapo  humano   disse  ,  com   um  fiapo  de   voz . . .
_  Levaram   as  mulas .
_  Levaram   a   harpa .
E  respirou   fundo ,  acrescentando ...
Mas   não   levaram   a   Musica!




Eduardo   Galeano

sexta-feira, setembro 30, 2011

Côr de . . . não acredito

A
ANIMAL    lança    hoje   uma   petição  . . .

Tauromaquia  a  Património  Cultural  Imaterial  da  Humanidade NÃO

Por Favor
Leia, Assine e Divulgue


http://www.peticaopublica.com/?pi=P2011N14706



Diariamente  ,  quando   leio  ou   ouço   as   noticias  ,   muitas   me  levam a   comentar     ...  _  não  , não   acredito    _
Esta   [ enviada   por   e - mail  ]   foi   uma   delas  .
Não   acredito .




Mas   acredito    na    urgência   deste    gesto ...

domingo, setembro 25, 2011

Côr de porquê ?!

















Os  meios  tecnicos  de   comunicação  estão  cada  vez  mais   avançados   ... ...
E
as   pessoas   cada   vez   mais   incomonicáveis ... ...



imagem _  Gurbuz  Eksioglu _

sábado, setembro 24, 2011

Côr de ... para lá do adeus .




Que venha o sol o vinho as flores
Marés canções todas as cores
Guerras esquecidas por amores
Que venham já trazendo abraços
Vistam sorrisos de palhaços
Esqueçam tristezas e cansaços
Que tragam todos os festejos
E ninguém se esqueça de beijos
Que tragam prendas de alegria
E a festa dure até ser dia
Que não se privem nas despesas
Afastem todas as tristezas
Pão vinho e rosas sobre as mesas
Que tragam cobertores ou mantas
O vinho escorra pelas gargantas
E a festa dure até às tantas
Que venham todos de vontade
Sem se lembrarem de saudade
Venham os novos e os velhos
Mas que nenhum me dê conselhos!



 José Niza
José  Calvário 

quinta-feira, setembro 22, 2011

Côr de Outono




















Chegou .
Poderosa   de   aromas    e   cores   outonais .
Onde    os    sentidos   ,   para   lá    do    sexto  ,  se    sensibilizam . 
 A   calma  e   o    silêncio    começam   a    aconchegarem  -  se   .

Chegou  ...
 a      minha     Estação  .



imagem  _   Mihai   Criste  _

quarta-feira, setembro 21, 2011

Côr de ... até já !














Julio ResendeRibeira  Negra _

segunda-feira, setembro 19, 2011

Côr de o valor


















Não eduquemos os nossos filhos para serem   ricos ,
mas sim para serem felizes .

Assim ... eles saberão o valor das coisas
e
não o seu preço !




Max Gehringer
Kate   Greenaway

sexta-feira, setembro 16, 2011

Côr de silêncio


Temos ,
há muito tempo , guardado  dentro  de  nós ,
 um  silêncio  bastante   parecido  com   estupidez.




 Eduardo Galeano
Julien  Chaves

domingo, setembro 11, 2011

Côr de 11 de Setembro ...




 11   de   Setembro   esquecido . 1973  ,  no  Chile  ]

sábado, setembro 10, 2011

Côr de melancolia




















A
melancolia  é  uma  tristeza  tão  subtil   que  passa por  bom  senso ,
e ,
nos permite continuar à  varanda  depois  de  terem  levantado  voo  o  riso   das  crianças  e   o   pássaro   do   amor .



Julio  Machado  Vaz
Duy  Huynh

quarta-feira, setembro 07, 2011

Côr de dificuldade



/
Ou será que
governar   só   é   assim   tão  difícil   porque   a   exploração   e   a   mentira
são  coisas   que   custam   a   aprender  ? !!!






Bertolt Brecht

segunda-feira, setembro 05, 2011

Côr de . . .





















Hoje ,
acordei   com   vontade   de   acreditar   ... ... ...



foto  _  enviada   por  e - mail  _

quinta-feira, setembro 01, 2011

Côr de normalidade .





















Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante
Deles não quero respostas , quero meu avesso .
Que me tragam dúvidas e angústias e aguentem o pior de mim.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta .
Não quero só o ombro e o colo ... quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim ... metade loucura , metade serenidade.
Não quero risos previsíveis nem choros piedosos
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice !
Crianças para que não esqueçam o valor do vento no rosto , e velhos para que nunca tenham pressa.
Pois vendo os loucos e santos, tontos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril !




Desconheço o Autor .
imagem  _  Charles   Duer  _

terça-feira, agosto 30, 2011

domingo, agosto 28, 2011

Côr de Açores
















A
magia   sentida   no   primeiro   encontro  ,  repetiu - se . . .

Voltar   a    viver   á   velocisade   do  "  passo   humano  "  
 e   com   os   olhos   doendo   de   tanto   querer   reter . . .

Que   mais   dizer  ?

 Bem    hajas    Existência !



domingo, agosto 07, 2011

sábado, agosto 06, 2011

Côr de cordeis






A
politica  é   movida  por  cordeis  tão   sórdidos  que  tudo  é  possível  ... ...   desde  que  não  faltem  as   mãos  sórdidas  para  os  puxar .




Eça  de  Queirós _  Correspondência [  1890 ]
Ever  Ploeg

quarta-feira, agosto 03, 2011

Côr de restaurante Tropical














Um grupo de amigos de 60 anos discutia para escolher o restaurante onde iriam jantar. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante Tropical porque as empregadas usavam mini-saias e blusas muito decotadas.


10 anos mais tarde, aos 70 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram para escolher o restaurante. Decidiram-se pelo Restaurante Tropical porque a comida era muito boa e havia uma excelente carta de vinhos.


10 anos mais tarde, aos 80 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram para escolher o restaurante. Decidiram-se pelo Restaurante Tropical porque lá havia uma rampa para cadeiras de rodas e até um pequeno elevador.


10 anos mais tarde, aos 90 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram para escolher o restaurante. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante Tropical. Todos acharam que era uma grande ideia porque nunca tinham ido lá.





[Autor desconhecido]
imagem  _ Teun Hocks


Quando   terminamos   de  ler   este   texto   ficamos   com   um   sorriso   nos   lábios  . . .
Oxalá   que   esse   sorriso   seja   por . . . . . . _  ainda   há   pessoas   que  ,  com   90   anos  ,   se   reunem  para   estarem   juntas .  _
Oxalá . . .  !

domingo, julho 31, 2011

Côr de ... pó
















Aos  vivos  que  direi  eu ?
Digo   que  se  lembre o  pó levantado  que  há - de  ser  pó  caído . Levante - se  o  pó com  o  vento  da  vida  e   muito  mais  com  o  vento  da  fortuna . Mas  lembre - se  o  pó que  o  vento  da  fortuna  não  pode  durar  mais  que  o  vento  da  vida ,  e  que  pode  durar  muito  menos ,  porque  é  mais  inconstante . O  vento  da  vida ,  por  mais  que  cresça ,  nunca  pode  chegar  a  ser  bonança . O  vento  da  fortuna  se  cresce ,  pode  chegar  a  ser  tempestade ,  e  tão  grande  tempestade  que  se  afogue  nela  o   mesmo  vento  da   vida .
Pó  levantado ,  lembra - te  outra  vez ,  que  hás - de ser  pó  caído ,  e  que  tudo  há - de  cair  e  ser  pó  contigo .




Padre  António  Vieira  _  Sermões  [ 14 ] _

quinta-feira, julho 28, 2011

quarta-feira, julho 27, 2011

Côr de ... agora




















Os
olhos   de    um    gato   ,  são   a    imagem    do   agora !



imagem _  Utagawa  _

terça-feira, julho 26, 2011

Côr de .... em nosso coração




















Os  
 gatos   entram    em   nossas    vidas  pela    porta    estreita     do    afecto   ,   e    fazem    ninho  ,  como  sua   casa    fosse  ,   no   nosso     coração   . 



imagem  _  Elena   Shlegel _

domingo, julho 24, 2011

Côr de subtileza














O
gato   é   o   diagrama   e   o   padrão  da   subtileza   do    ar  !





imagem _   Anne  Bachelier _

quarta-feira, julho 20, 2011

Côr de ... acordai ...



Acordai
acordai
homens que dormis
a embalar a dor
dos silêncios vis
vinde no clamor
das almas viris
arrancar a flor
que dorme na raíz


Acordai
acordai
raios e tufões
que dormis no ar
e nas multidões
vinde incendiar
de astros e canções
as pedras do mar
o mundo e os corações


Acordai
acendei
de almas e de sóis
este mar sem cais
nem luz de faróis
e acordai depois
das lutas finais
os nossos heróis
que dormem nos covais
Acordai !


musica  _  Fernando  Lopes  Graça _
poema      _    José  gomes  Ferreira _

quinta-feira, julho 14, 2011

Côr de detestar ?!!!




















amiga ,
quem     detesta    gatos ,   foi    rato  ,  numa    outra   vida  ,    de    certeza ...!


Ainda  que  ,  o  rato  não  deteste  o  gato ,  deve   ter   um   sentir   mais    parecido  com  o medo  .  
Os   animais   ditos   irracionais   não   têm  sentimentos   tão  fortes  e   por  vezes   destruidores .

Poder - se - á   chamar   a   isto   uma    superioridade ? 
Acredito    que    sim  !




imagem  _   Sandra  Bierman  _

segunda-feira, julho 11, 2011

Côr de Solstice





Até    a    uma   próxima .

sábado, julho 09, 2011

sexta-feira, julho 01, 2011

quarta-feira, junho 29, 2011

Côr de morreste - me





Pequenina ,
nessa tua busca  , incessante , pela  Luz , esqueceste que a escuridão   também   tem que  existir 


Uns    aguentam  ,    outros    não  . . .


É    necessário   coragem   para   viver , não   sei  ,   se   mais ainda  para    o   deixar   de   fazer . 


Hoje , [  pedindo  emprestada a frase   porque  é isso que sinto,  morreste - me !


Até  . . .    ao   próximo    abraço   ...   e    que   encontres  ,   rapidamente ,     a   tua    Luz  .

segunda-feira, junho 27, 2011

Côr de momento



Uma espécie de céu
Um pedaço de mar
Uma mão que doeu
Um dia devagar
Um domingo perfeito
Uma toalha no chão
Um caminho cansado
Um traço de avião
Uma sombra sozinha
Uma luz inquieta
Um desvio na rua
Uma voz de poeta
Uma garrafa vazia
Um cinzeiro apagado
Um hotel na esquina
Um sono acordado
Um secreto adeus
Um café a fechar
Um aviso na porta
Um bilhete no ar
Uma praça aberta
Uma rua perdida
Uma noite encantada
Para o resto da vida


Pedes-me um momento
Agarras as palavras
Escondes-te no tempo
Porque o tempo tem asas
Levas a cidade
Solta me o cabelo
Perdes-te comigo
Porque o mundo é o momento


Uma estrada infinita
Um anuncio discreto
Uma curva fechada
Um poema deserto
Uma cidade distante
Um vestido molhado
Uma chuva divina
Um desejo apertado
Uma noite esquecida
Uma praia qualquer
Um suspiro escondido
Numa pele de mulher
Um encontro em segredo
Uma duna ancorada
Dois corpos despidos
Abraçados no nada
Uma estrela cadente
Um olhar que se afasta
Um choro escondido
Quando um beijo não basta
Um semáforo aberto
Um adeus para sempre
Uma ferida que dói
Não por fora, por dentro .




Letra e musica  de  Pedro  Abrunhosa

domingo, junho 26, 2011

Côr de flores ...






















Não    correr   atrás   da  vida ,
mas      prestar -  lhe   atenção   ...
 e ,
por momentos , nascem rosas   e  a   felicidade acontece  ...




imagem  _   ?  _

sexta-feira, junho 24, 2011

Côr de S. joão





















S. João disse ás estrelas ...
Esta noite é de folguedo ,
Fechem portas e janelas  ,
que eu hoje não venho cedo ...




[ Quadra  S.  Joanina de 1929 ]
imagem  _  Leonardo  da   Vinci _

terça-feira, junho 21, 2011

segunda-feira, junho 20, 2011

sábado, junho 18, 2011

Côr de adequadamente

















Os 
lugares-comuns , as frases feitas , os bordões , os narizes-de-cera , os sentenças de almanaque, os rifões e provérbios , tudo pode aparecer como novidade ...
 A 
questão está só em saber manejar, adequadamente , as palavras  que estejam  antes  e   depois.




José    Saramago
John  Peto

segunda-feira, junho 13, 2011

Côr de dois Fernandos


de   Bulhões 

e



Pessoa !

sábado, junho 11, 2011

Côr de esquina

































Esta  noite  fiz um movimento descuidado dentro do sonho , virei com grande brusquidão  uma esquina e choquei contra   mim  própria .
Nunca  me  tinha  sentido   tão   frente  a   frente  comigo ,  nem  através  de  um   espelho .
Porém , aconteceu  algo  estranho ... quando   tentava   tocar - me   a   minha   imagem   desfazia - se .

Será  que  nem  em  sonhos  me     permito  ter   duas  caras ?!

sexta-feira, junho 10, 2011

Côr de ... 10 de junho



Será ?!




Poema   Luis  Vaz  de  Camões
Musica  José  Mário   Branco