A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

quinta-feira, novembro 24, 2011

Côr de crença



















No primeiro dia de aula , o professor trouxe um vidro enorme  . . .
 _  Isto está cheio de perfume  _ disse a
Miguel Brun e aos outros alunos  .
Quero medir a percepção de cada um de vocês. Na medida em que sintam o cheiro , levantem a mão .
E abriu o frasco .
Num instante ,  já havia duas mãos levantadas . E logo cinco , dez , trinta , todas as mãos levantadas .
_  Posso abrir a janela, professor ? _   suplicou uma aluna , enjoada de tanto perfume , e várias vozes fizeram eco . O forte aroma , que pesava no ar , tinha-se tornado insuportável para todos .
Então o professor mostrou o frasco aos alunos , um por um .
Estava cheio de água.




Eduardo Galeano _ O livro  dos   abraços _
Niki   Saint  Phalle

2 comentários:

Luis Filipe Gomes disse...

Esse grande vidro que no português de Portugal chamaríamos frasco, adquiriu a forma de paralelipípedo. Emite som e imagem mas há notícia de quem já cheirou incenso ou fumaça de cigarro, bem à semelhança dos alunos do relato.
Quando eu era pequeno essa caixinha mágica parecia emitir luz e eu juraria que até conseguia iluminar desconhecidos pontos ocultos. Hoje a caixinha espalma-se dia a dia e a luminescencia bruxuleante parece destinada a fazer crer, a criar a crença de que o Adamastor existe.

São disse...

rrsss pois, é o efeito psicilógico...

Um abraço