A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

segunda-feira, agosto 21, 2017

Côr de ultimato aos " senhores " do mundo

Côr de memórias




























Os
 seres  humanos  têm  o  dom  de  tornar  longo e  complicado  o  caminho da  felicidade,  
mesmo  quando ele poderia  ser  curto e  óbvio.
Os
animais  fazem  tudo de  forma  simples.
Se amam,  demonstram  de forma  explícita.
Se não amam, não fazem  questão  de disfarçar. 
Também sabem como ir directo aos  seus objectivos , 
sem  criarem  barreiras  emocionais  que  só  dificultam  as  coisas. 
  
Quando  se sabe que avida é  bem  curta ,  faz-se o que se pode para   
viver  intensamente  cada minuto.

Com os gatos é assim que funciona .











Aurea   Gervásio  _  Memórias espirituais de um  gato _
imagem  _  pastel  M.C . _  

domingo, agosto 20, 2017

Côr de roxo



























Amo o roxo. E vai que fazes ?
A luz  tamisas  de  malva
E  roxa  desponta  a alva
Sobre a colcha  de  lilases.

Roxos  alastram  os  razes.
E  tu das-te  nua  e  alva
Lírio roxo numa  salva
Sobre  a colcha  de  lilases.

Com  suas  pestanas  pretas
As  tuas  pálpebras  roxas
São duas  grandes  violetas.

E,  por  mais gosto da  vida,
Depois  que  a  lâmpada  afrouxa,
Fez-se  a  alcova de  ametista.








Jaime  Cortesão
imagem  René   Magritte  _ 

sábado, agosto 19, 2017

Côr de fogo

Côr de fogo




















" Nunca país algum se elevou sem se ter purificado no fogo do sofrimento. "

Mahatma  Gandhi  




Neste
momento ,  Portugal  já    se  encontra   . . .   
mais  que  purificado   !

Côr de ousar




















Descobri ,
que   misturada   com  as   rugas   e   os  cabelos   brancos ,
veio  aquela   coisa   maravilhosa
de  . . .
ousar   semear   o    espanto .











imagem  _   Omar  Galliani  _

quarta-feira, agosto 02, 2017

Cor de Tua Cantiga



Quando te der saudade de mim
Quando tua garganta apertar
Basta dar um suspiro
Que eu vou ligeiro
Te consolar

Se o teu vigia se alvoroçar
E estrada afora te conduzir
Basta soprar meu nome
Com teu perfume
Pra me atrair

Se as tuas noites não tem mais fim
Se um desalmado te faz chorar
Deixa cair um lenço
Que eu te alcanço
Em qualquer lugar

Quando teu coração suplicar
Ou quando teu capricho exigir
Largo mulher e filhos
E de joelhos
Vou te seguir

Na nossa casa
Serás rainha
Serás cruel, talvez
Vais fazer manha
Me aperrear
E eu, sempre mais feliz

Silentemente
Vou te deitar
Na cama que arrumei
Pisando em plumas
Toda manhã
Eu te despertarei

Quando te der saudade de mim
Quando tua garganta apertar
Basta dar um suspiro
Que eu vou ligeiro
Te consolar

Se o teu vigia se alvoroçar
E estrada afora te conduzir
Basta soprar meu nome
Com teu perfume
Pra me atrair

Entre suspiros

Pode outro nome
Dos lábios te escapar
Terei ciúme
Até de mim
No espelho a te abraçar

Mas teu amante
Sempre serei
Mais do que hoje sou
Ou estas rimas
Não escrevi
Nem ninguém nunca amou

Se as tuas noites não têm mais fim
Se um desalmado te faz chorar
Deixa cair um lenço
Que eu te alcanço
Em qualquer lugar

E quando o nosso tempo passar
Quando eu não estiver mais aqui
Lembra-te, minha nega
Desta cantiga
Que fiz pra ti


Chico  Buarque _ letra _
Cristóvão Bastos _  música  _

terça-feira, agosto 01, 2017

Côr de o teatral da vida .


























Há  
anos ,  Oscar  Wilde   disse . . .

" O   mundo   é   mesmo   um  palco ,   convenhamos   que   o  elenco    está   um    horror  "



Hoje , 

a   vida  continua  a  ser  um  palco ,  os   actores  [ que   somos todos  nós ] ,  pelo   contrário ,   melhoraram    muito  . . .

com   toda  a  facilidade   incorporam   qualquer   personagem ,
mudam  de  indumentária   rápidamente   e  com  toda  a  ligeireza  ,
e   
sobretudo ,   representam   muito   bem  ,
melhor   dizendo   . . .
                                           mentem   descaradamente  .







imagem  _   Michael   Cheval   _  

segunda-feira, julho 31, 2017

Côr de amor roxo





























O  amor  me  fere  é  debaixo  do  braço ,
de  um  vão  entre  as  costelas.
Atinge  meu  coração  é  por  esta  via  inclinada.
Eu  ponho  o  amor  no  pilão  com cinza
e  grão  de  roxo e  soco.
Macero  ele , faço  dele  cataplasma
e  

ponho sobre  a  ferida.




 



Adélia   Prado
imagem  _   Julio  Pomar  _

domingo, julho 30, 2017

Côr de musica que gosto



























 
. . . 
         mas   com   final   feliz  ,  
         por   favor   !











imagem  _   da   net  _

sexta-feira, julho 28, 2017

Côr de amor memória





As

lembranças  do   passado  servem ,  entre  outras  coisas ,   para   que  
possamos   continuar  a   amar   pessoas   e    lugares ,  que  se    foram   
tornando    "   diferentes  "     . . .

Talvez , 
amor  memória  ,  seja  o  nome  deste  confins  /  sentir   !










imagem _   Marina   Terauds  _

segunda-feira, julho 24, 2017

Côr de um belo presente






























A
Mia   resolveu   retribuir   os   presentes   que   lhe   levo  .
Não   o  largou  enquanto   não   lhe  agradeci   . . .  com   uma   " festinha " 
na  cabeça .
 
[ teve   bom   gosto  . . .  a   pelagem  era  de  um  belo  cinzento   e  os  olhos  pareciam   contas   de   azeviche  ]


sábado, julho 22, 2017

Côr de as mãos


















Aqui estão as mãos .
São os mais belos sinais da terra.
Os anjos nascem aqui  . . .
frescos, matinais, quase de orvalho ,
de coração alegre e povoado.

Ponho nelas a minha boca ,
respiro o sangue , o seu rumor branco ,
aqueço-as por dentro , abandonadas
nas minhas , as pequenas mãos do mundo.

Alguns pensam
que são as mãos de  Deus 
eu sei que são as mãos de um homem ,
trémulas barcaças onde a água ,
a tristeza e as quatro estações
penetram , indiferentemente.

Não lhes toquem ... são amor e bondade.
Mais ainda ... cheiram a madressilva.
São o primeiro homem , a primeira mulher .
E amanhece.









Eugénio   de   Andrade   _  Até  Amanhã  _
imagem  _   Miguel    Ângelo  _

quinta-feira, julho 20, 2017

quarta-feira, julho 19, 2017

Côr de escutar com a alma
























Descobri ,
que   quando   alguém   nos   procura   para  desabafar ,
não   nos  pede  palavras ,
mas   sim   uma   alma  completamente   escancarada    
onde    a    compreensão   e   o   silêncio    residam . 








imagem   _   Hiroshi   Yogi  _

terça-feira, julho 18, 2017

Côr de sou . . .





  [ . . . ]

Sou  a  que  chamam triste  sem  o  ser ...
Sou  a que  chora  sem  saber  porquê ...


Sou  talvez  a  visão que  Alguém  sonhou ,
Alguém  que veio ao mundo  pra  me  ver
E   que   nunca  na  vida  me  encontrou 













Florbela Espanca, _  Livro de Mágoas  _
imagem  _  Omar  Galliani  _ 
 

segunda-feira, julho 17, 2017

domingo, julho 16, 2017

Côr de só em flor







































Amor 
perfeito   . . .   . . .
                  sim ,
responde  a    flor 











imagem  _    Lauren  Mils    _

sexta-feira, julho 14, 2017

Côr de grandes



























Aproximamo - nos  
do   grandioso  ,  quando    somos   grandes  
em   humildade   .








  




Rabindranath    Tagore  _   A   Asa  e   a   Luz  _
imagem  _   May   Gibbs

quarta-feira, julho 12, 2017

Côr de assecível






















Descobri ,
que   quando   confrontada   com   uma    incompreensível   aridez  ,  disfarçada   de bonomia  ,
o   melhor  é  exilar - me   para   uma  outra   lógica .
Uma   lógica   simples   e  clara .
Que   seja   acessível   ao   comum   dos   mortais !    











imagem _  Michael Parkes  _

terça-feira, julho 11, 2017

segunda-feira, julho 10, 2017

Côr de humildade




















Tanto que fazer !
livros que não se lêem, cartas que não se escrevem ,
línguas que não se aprendem ,
amor que não se dá ,
tanto quanto se esquece .

Amigos entre adeuses ,
crianças chorando na tempestade ,
cidadãos assinando papéis , papéis , papéis . . .
até o fim do mundo assinando papéis.

E os pássaros detrás de grades de chuva ,
e os mortos em redoma de cânfora .

E uma canção tão bela  !

Tanto que fazer !

E  fizemos apenas isto . . .

E nunca soubemos quem éramos
nem para quê .








Cecilia  Meireles
imagem  _   Vincent van Gogh   

domingo, julho 09, 2017

Côr de amoras e picos



























Como as inquietas aves ribeirinhas ,
também nós fazemos em Agosto
a nossa safra de amoras ,
evitando com prudência os picos
que as dificultam e tornam cobiçadas .

Bendita sejas , irmã silva , que nos dás
as amoras e os picos .

Que de tudo se precisa nesta vida . 
[ Na outra , por enquanto não se sabe. ]










A.M.Pires Cabral
imagem  _   Edith   Holden   ,  A   alegria  de  viver com  a   natureza  _