A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

quinta-feira, setembro 01, 2011

Côr de normalidade .





















Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante
Deles não quero respostas , quero meu avesso .
Que me tragam dúvidas e angústias e aguentem o pior de mim.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta .
Não quero só o ombro e o colo ... quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim ... metade loucura , metade serenidade.
Não quero risos previsíveis nem choros piedosos
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice !
Crianças para que não esqueçam o valor do vento no rosto , e velhos para que nunca tenham pressa.
Pois vendo os loucos e santos, tontos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril !




Desconheço o Autor .
imagem  _  Charles   Duer  _

5 comentários:

Atitude do pensar disse...

Um dos textos mais bacanas que já li por aqui!

Luis Filipe Gomes disse...

Posso imaginar meia-dúzia de autores prováveis. Ora tal número é demasiado elevado para ter boa probabilidade de acertar. Uma coisa parece-me certa poderiam todos; elas e eles, serem amigos do autor.

São disse...

Obrigada por me dar a conhecer um texto assim tão belo.

Bem haja!

Nilson Barcelli disse...

Gostei do texto, mas acho que tem um pequeno senão...
Os amigos não se escolhem... acontecem...
Beijo, querida amiga.

Lilazdavioleta disse...

Amigo Nilson ,

de acordo . E é quando acontece que " fazemos " as escolhas .
Os afectos são de pele ou mais ainda , para mim , são reencontros de de vidas passadas .
A simpatia que acontece aqui na blogosfera é um exemplo ...

Um beijo