A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

quinta-feira, setembro 16, 2010

Côr de ... sou quieta .



Não,
não ofereço perigo algum ...
sou quieta como folha de outono esquecida entre as páginas de um livro , definida e clara como o jarro com a bacia de ágata no canto do quarto. Se tomada com cuidado , verto água límpida sobre as mãos para que se possa refrescar o rosto , mas se tocada por dedos bruscos num segundo me estilhaço em cacos , me esfarelo em poeira dourada.

Tenho pensado se não guardarei indisfarçáveis remendos das muitas quedas , dos muitos toques , embora sempre os tenha evitado .
Aprendi que minhas delicadezas nem sempre são suficientes para despertar a suavidade alheia , e mesmo assim ...
insisto ....


Caio F. de Abreu _ Os dragões não conhecem o paraíso _

1 comentário:

poetaeusou . . . disse...

*
Gostei, muito !
,
folhas guardadas
nas folhas dos livros,
que abrigam
um mar de insistências !
,
Conchinhas,
,
*