Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi




A _ cor _ dar , é preciso !


sábado, junho 21, 2014

Côr de Verão













O  Verão 
está sob a influência do arcanjo  Uriel , cujo nome significa  Deus é a minha luz  . Durante o verão, toda a natureza está em fogo , e no  dia 24 de junho , festa de São João Batista , após o solstício de verão , é tradição acender fogos e celebrar com cantos e danças a vitória do calor e da luz. Uriel não é mencionado na tradição cristã e a Igreja não encorajou esta maneira de celebrar o São João, pois essas reuniões de homens e mulheres que cantam, dançam e bebem à roda de um fogo durante t oda a noite acabam muitas vezes em excessos.
O solstício de verão , que se situa no momento em que o sol entra na constelação do Caranguejo , onde Vénus está em exaltação , não é, efetivamente , a festa do fogo espiritual , mas do fogo físico , terrestre.

Uriel  é o  arcanjo de Malhouth , a esfera da terra . . . o fogo sobre o qual ele reina não é só aquele que faz amadurecer os cereais e os frutos , é também o fogo interior do planeta que mantém  toda uma matéria em fusão , na qual se elaboram os metais , os minerais , e 
que foi mesmo assimilada ao inferno.
Em certas tradições , o verão é simbolizado por um dragão que cospe chamas. 

O dragão é precisamente esse animal mítico que , vivendo debaixo da terra , só sai à superfície para queimar , devorar e destruir. Mas ele é também o guardião de todos os tesouros ocultos , as pedras e os metais preciosos, frutos da terra. 
Há também muitas tradições que celebram o herói que foi capaz de deitar por terra o dragão para se apoderar dos seus tesouros. 
São relatos sobre  os  quais  devemos  meditar . . . 
não é pelo facto de o verão libertar as forças subterrâneas 
que devemos deixar-nos 
devorar pelo dragão .







Omraam  Mikaël  Aïvanhov
imagem  _  Ulla  Blomqvist _

2 comentários:

São disse...

Bela citação.

Além do mais, estas festas são pagãs e cristianizadas...

A ilustração corresponde perfeitamente ao texto.

Bom solstício, Maria, neste dia gostaria muitissimo de estar em Abu Simbel (Egipto) ou em Chichtén-Itzá(México), de verdade.

Abraço frtaerno

Luis Filipe Gomes disse...

Todas as nossas festas populares de cariz religioso são parte de uma compreensão do mundo e da natureza anteriores ao cristianismo. O S. João, e o S. Pedro vêm nessa linha.
É curioso que o S. João tenha sido exportado para outras partes do mundo por onde andaram os portugueses.