A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

quarta-feira, agosto 27, 2014

Côr de lágrimas




sim , por um momento seremos a dor de tudo isto ...

Eu  não  sei  porque  me  caem  as  lágrimas ,
porque  tremo  e  que  arrepio  corre  dentro  de  mim ,
eu  que não  tenho  parentes  nem  amigos  na  guerra ,
eu  que  sou  estrangeiro  diante  de  tudo  isto ,
eu  que  estou  na minha  casa  sossegada ,
eu  que não  tenho  guerra  à  porta ,
_  eu porque tremo  e  soluço ?
Quem  chora  em mim ,  dizei _   quem chora em nós ?
/
E  se  tudo é igual  aos  dias  antigos,
apesar  da  Europa  à  nossa  volta , exangue  e  mártir ,
eu  pergunto  se  não  estaremos  a  sonhar  que  somos  gente ,
sem  irmãos  nem  consciência , aqui  enterrados  vivos ,
sem  nada  senão  lágrimas  que vêm  tarde  . . .









Adolfo  Casais  Monteiro
imagem  _  Christian  Schloe  _

2 comentários:

São disse...

Gostei de ouvir a peça do post anterior, que desconhecia...assim como não sabia deste poema , que poderia ter sido escrito hoje e onde se poderia substituir Europa pelo Médio Oriente...

Amiga, bom fim de tarde :)

GL disse...

Há os que pensam ser gente mas não passam de simulacros.
Mas depois? Depois temos gente de verdade. Gente que sofre e luta, gente que cerra os dentes de dor e de raiva, mas vai em frente, sempre.