Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi




A _ cor _ dar , é preciso !


domingo, novembro 27, 2016

Côr de . . . estórias .



Os
cientistas   dizem   que  somos   feitos  de  átomos ,
mas
um   passarinho ,  disse - me   que   somos   feitos  
de
                                    estórias !







Eduardo  Galeano
imagem  _  Marina   Terauds  _

sábado, novembro 26, 2016

Côr de palavra


Há  ,
quem   me  acuse ,  como  se  tal   fosse   um  defeito  ,   de   ser  de  pouca   palavras  .
Nem  mesmo  quem  me  conhece  , relativamente ,  se  apercebe  que  não  é  o  articular   que  me   custa   ,  mas  sim   dar -  lhes   o   alento  que   justifique   substituí-las   pelo   silêncio .
E   se   pensarmos  . . .                                
uma   palavra
            demora   um   milagre   a  nascer  !


  



imagem  Catherine   Alexandre  _  

quinta-feira, novembro 24, 2016

domingo, novembro 20, 2016

Côr de peço - te . . .



Peço-te . . .

não pises as violetas que trago no olhar .








Joaquim  Pessoa

sábado, novembro 19, 2016

Côr de Liberdade




















Quando ,
este  simbolo  , poderá   olhar  de  frente o  mundo  ,


sem   chorar ?

domingo, novembro 13, 2016

Côr de diálogo















Há
uns   tempos   a  esta   parte ,  tenho   observado   que  os   diálogos ,
 para   muitas   pessoas  ,  estão   em   vias   de  extinção   . . .

Estão   a   transformar -se    _______  em  _______
_________  monólogos  ___________________
                                 
                                 intercalados !







imagem _   Marc  Janssens  _

sexta-feira, novembro 11, 2016

quarta-feira, novembro 09, 2016

Côr de casa vazia
















Dai-me a casa vazia e simples onde a luz é preciosa. 
Dai-me a beleza intensa e nua do que é frugal. 
Quero comer devagar e gravemente como aquele que sabe o contorno carnudo e o peso grave das coisas. 

Não quero possuir a terra mas ser um com ela. 
Não quero possuir nem dominar porque quero ser  . . .  esta é a necessidade.
Com veemência e fúria defendo a fidelidade ao estar terrestre. 

O mundo do ter perturba e paralisa e desvia em seus circuitos o estar, o viver, o ser. 
Dai-me a claridade daquilo que é exactamente o necessário. 
Dai-me a limpeza de que não haja lucro. 
Que a vida seja limpa de todo o luxo e de todo o lixo. 


Chegou o tempo da nova aliança com a vida. 







Sofia   de  Melo  Breyner
imagem  _  Andrew   Wyen  _

terça-feira, novembro 01, 2016

Côr de . . . de ti .












Tenho segredo de
ti
meu amor de meu invento

convento onde te
fecho
com o meu corpo lá dentro

Tenho segredo de
ti
onde me prendo e me deito

e onde te roubo
as mãos
para as pôr sobre o meu peito








Maria Teresa Horta  _Minha senhora de mim _

imagem  _   Leonardo   da   Vinci  _