Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi




A _ cor _ dar , é preciso !


sábado, maio 20, 2017

Côr de . . . nada é por acaso

























Eu
tinha   umas   asas   brancas
asas   que   um   anjo  me  deu  . . .



Almeida   Garrett   [   pequeno  excerto  ]
imagem  _   Ami Judd  _



Trazi - as  sempre  comigo   .
Porém ,  há  um   mês   atrás   comecei   a  ficar  triste  e   zangada   com   os    anjos . 
E
despi    as  asas .
Sentia    a  sua    falta ,   e   até   da   minha    crença   nos  seres   que  sempre   amei .

Mas    ando   muito   dorida  e  cansada  . . .   


Ontem ,  e  não   entrando   em   grandes   pormenores   ,   devido   à   minha  maneira  de   ser . . .  _   não  ser   desconfiada  _ ,  abri    a  porta  de casa   a  uma  pessoa   que   vinha  com  uma  estória   que   podia  ser  verdade  .
Corri   perigo   de  vida  [   o   preço   dela   era   de   500  euros   e   o   cartão  de  contribuinte ]

Fiquei   aparentemente    calma   .   Apenas   olhei   o  homem   nos  olhos   e  disse   que 
não   tinha  essa   importância .

De   um   minuto   para  o   outro   o  homem   desistiu   do   intento  ,  e  saiu   porta   fora 




Quando   fiquei   só ,   pensei  . . .

De   certeza   que   me   tinha    esquecido   de   despir   as  asas   brancas  .

7 comentários:

Luis Filipe Gomes disse...

Caramba! Não sei o que dizer. Que não se volte a repetir. Que não haja motivos para tal tipo de susto. Faço votos para que fiques bem e ultrapasses o choque. Recebe um abraço apertado!

Lilazdavioleta disse...

Muito obrigada , Luís .
Neste momento , ainda tremo de incomodo , quando recordo a figura do homem .

Hoje fui a uma esquadra da p.s.p fazer a participação do caso e descrever o individuo ,
e o agente que me atendeu , ficou olhar para mim e disse uma coisa que eu não esperava ...
" mas a senhora deve ter uma energia especial " .
E eu respondi-lhe , para aliviar a tenção ,que tinha um contrato com um anjo .


Agradeço , muito o abraço , pois estou mesmo a precisar , e retribuo .
Maria

Mariazita disse...

Minha querida amiga Maria
Posso imaginar o susto!
Eu confesso que não sou nada corajosa com esse tipo de coisas (guardo a coragem para situações mais corriqueiras... )
Quando estou em casa sozinha - o que, de há quase 5 anos para cá acontece frequentemente - tenho a chave da porta com as 4 voltas, e não abro a porta a ninguém que não conheça.
E vivo num andar onde há mais 20 condóminos...

Só posso desejar que tal não volte a acontecer.
Dias calmos e felizes lhe desejo.

Continuação de boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Lilazdavioleta disse...

Muito obrigada amiga Mariazita ,

beijinhos , e bom fim de semana ,
Maria

Jaime Portela disse...

Mas que susto.
O virar costas do assaltante deve ser caso único.
E isso ficou a dever-se, por certo, à atitude que tiveste ao enfrentá-lo pacifica mas firmemente. Ainda tinhas as asas do anjo...
Bom fim de semana e um abraço solidário, querida amiga Maria.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, viver e aprender, certamente que na próxima vez verifica quem lhe está a bater na sua porta antes de abrir, se não fosse um anjo de asas brancas, a pessoa a quem abriu a porta não abandonava a ideia de lhe roubar e outras ideias que os ladroes costumam por em pratica, tenha cuidado, aliais, tenha muito cuidado.
Feliz fim de semana com lindas asas brancas,
AG

AC disse...

:)
A vida é pródiga em engenhos, muitos deles pelo pior motivo.
A Maria não precisava das asas, elas já fazem, há muito, parte de si. Pela sua forma de ser e de estar.

Um beijinho :)