A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

quinta-feira, abril 24, 2008

Côr de ... De repente .



De repente ,
O meu corpo , pedia , com urgência, um abraço .
Tinha necesidade ... Da magia da união de corpos,
de auras .

Lembrar o calor das mãos acariciando as costas,
como a dizer _ Estou aqui _ !

E só pude pensar em Ti ... na tua Energia e Sensibilidade.

Em Ti , que sabes entender o porquê ...
Desta vontade de Abraço .!

1 comentário:

Luis disse...

De repente escreves poesia.
de repente, para além
de pintares mãos com as mãos,
usas as mãos para acariciar,
sem as mãos.
Onde vais?!...Certamente
pelos caminhos da poesia.