A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

domingo, novembro 23, 2008

Côr de concha das mãos .



Na montanha viviam dois ermitas que adoravam Deus e se respeitavam mutuamente.
Os dois possuíam uma bilha de barro.
Um dia o mais velho foi ter com o mais novo e disse-lhe _ Há muito que vivemos juntos. O melhor é separarmo-nos e repartirmos o que temos.
O mais novo respondeu _ fico triste com a tua decisão , mas se é assim que queres , assim seja.
Foi buscar a bilha e deu-a ao companheiro.
_ Não a podemos repartir , fica tu com ela _ .
O mais velho recusou . _ Não quero a tua caridade. Quero apenas o que me pertence ... metade da bilha .
_ Mas se a partirmos para que servirá ? Se concordares tiremos à sorte.
Mas o mais velho insistiu .
Temos que a dividir , não quero confiar à sorte os meus direitos.
_Faça-se o que desejas , vamos quebrá-la e reparti-la .
Foi então que o mais velho gritou ... _ Maldito cobarde , não és capaz de lutar ?!

Khalil Gibran _ O Louco _

Depois de lêr este conto , apercebi-me que toda a minha vida tem sido " um não partir bilhas " , e , menos ainda , " lutar por elas " .
Se não pode ser para mim , porque não para ti ?!
Não o faço , mesmo correndo o " risco " de ser apelidada de cobarde.
Há sempre algo que as substitua .
A concha das mãos !


Lutar por objectos . . . Não !
Lutar por objectivos , ideias , crenças , posturas . . . Sim .!

Sem comentários: