A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

terça-feira, junho 01, 2010

Côr de 1 de junho .








Pede-se a uma criança ...
Desenha uma flor!
Dá-se-lhe papel e lápis.
A criança vai sentar-se no outro canto da sala onde não há mais ninguém.
Passado algum tempo o papel está cheio de linhas. Umas numa direcção , outras noutras .Umas mais carregadas , outras mais leves , umas mais fáceis , outras mais custosas. A criança quis tanta força em certas linhas que o papel quase que não resistiu.
Outras eram tão delicadas que apenas o peso do lápis já era de mais.

Depois a criança vem mostrar essas linhas às pessoas ... uma flor
!
As pessoas não acham parecidas estas linhas com as de uma flor !


Contudo , a palavra flor andou por dentro da criança , da cabeça para o coração e do coração para a cabeça , à procura das linhas com que se faz uma flor , e a criança pôs no papel algumas dessas linhas , ou todas.

Talvez as tivesse posto fora dos seus lugares , mas são aquelas as linhas com que Deus faz uma flor
!


Almada Negreiros


Deus fez o mesmo com os homens . Colocou linhas ou ideias nas suas cabeças , para que a partir daí surgissem compromissos e leis .

Um desses compromisso , foi o assumido por 71 presidentes e chefes de Estado, além de representantes de 80 países durante o Encontro Mundial de Cúpula pela Criança , realizado dias 28 e 29 de setembro de 1990 , na sede das Nações Unidas , para a década de 90, de melhorar a saúde de crianças e mães, combater a desnutrição e o analfabetismo e erradicar as doenças que vêm matando milhões de crianças a cada ano .

As linhas foram da cabeça para o papel .

No papel nada se resolve .Têm de passar pelo coração e vontade de todos .
Têm que deixar de ser apenas um compromisso , e transformar - se numa realidade .
Há sítios , que esta mesma realidade se encontra numa fragilidade extrema , e outros , completamente nula .

Deus , ajuda-nos a saber ajudar , mas diáriamente !

2 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Escolheste um belo texto.
E concordo que "no papel nada se resolve"...
Querida amiga, boa semana.
Beijo.

AC disse...

Há linhas que seguem interminavelmente, nunca encontrando o seu destino. Porque todos se desviam delas. A culpa não é das linhas. Não é da sua condição decidir. E elas ficam por ali, inertes, à espera que alguém as resgate.
Bom texto, a sensibilidade de sempre.
Beijo.