A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

sábado, fevereiro 26, 2011

Côr de ... opinião



Almir D'Ávila entrou criança , foi declarado demente e nunca mais saiu.

Nunca ninguém escreveu uma carta para ele , nunca ninguém o visitou.
Embora pudesse ir embora , não tem para onde. Embora quisesse falar, não tem com quem.
Há mais de quarenta anos passa seus dias no manicômio de São Paulo , caminhando em círculos , com o rádio grudado na orelha , e em seu caminho tropeça sempre com os mesmos homens que caminham em círculos com um rádio grudado na orelha.
Um dos médicos organizou a visita a uma exposição de pintura de Joan Miró.
Almir vestiu seu único terno , velhinho mas bem passado debaixo do colchão, enfiou até os olhos seu boné de almirante , e marchou com os outros rumo ao museu.
E viu .

Viu as cores que explodiam , o tomate que tinha bigode e o garfo que bailava , o pássaro que era mulher nua , os céus com olhos e as caras com estrelas.

Andou , de quadro em quadro , com o cenho franzido .

Era evidente que Miró o havia enganado , mas o médico quis saber a sua opinião . . .

_ Demasiada _ disse Almir .
_ Demasiada o quê
?

_ Demasiada loucura.




Eduardo Galeano
Juan Miró

2 comentários:

Atitude do pensar disse...

Em geral, os loucos são os mais lúcidos e, portanto, é muito possível que, sua loucura surja da constatação/percepção de um mundo louco.
Esse tema me agrada profundamente.
A análise da história da loucura é um dos meus interesses.

gatinhafofa disse...

Imagem interessante amiguinha!!