A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

sexta-feira, abril 29, 2011

Côr de ...alma insaciada



Porque é longa a minha sede
Trago a alma insaciada
Uma voz sem tom nem tempo
Age oculta , p’la calada


Sou a solidão do tempo
Quando o nevoeiro cerra
Sou a estranha flor ao vento
No esquecimento da terra


Num intenso gesto de alma , sou
Esta pena de me achar tão só
Tanto e tão pouco
Ai vida !


Porque é longa a minha sede
Busco a fonte desejada
Uma voz sem tom nem tempo
Que se oculta em mim, calada


Letra e musica de Jorge  Fernando

3 comentários:

Atitude do pensar disse...

Não conheço nada de música Portuguesa. Na realidade o universo de Portugal me é desconhecido. Exceto pelo vinho do porto, claro.
Me perdia entre as linhas e a voz desta cantora. Por curiosidade fui lá no youtube e ouvi mais...
Ainda estou ouvindo: Neste instante a música água e mel.
E a minha permanece insaciada.
Abraços, querida!

ISA disse...

LInda esta voz... maravilhosa canção. Bem portuguesa ... o fado da Alma e dos sons...!!!

Beijo
de sua amiga:
Isabel M. R.

AC disse...

Tive uma vez a oportunidade de ouvir Cristina Branco, num pequeno concerto numa igreja (Alpedrinha) ainda ela não era conhecida. Foi inesquecível!

Beijo :)