A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

sábado, outubro 19, 2013

Côr de pequenez





























A   árvore   foi  a   forma   de  te   ver
E   desci   para  abrir   a  casa .
De   me   teres   visitado   e   avistado
Entre   os   ramos
Fizeste -  me   passagem
Da   folha   ao   voo   do   pássaro .
Do   sol   à   doçura   do   fruto .
Para   me   encontrares  me   deste
A   pequenez .




Daniel   Faria
imagem _   Maud  Tindall  Atkinson _

6 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Gostei da foto e do poema.
De resto bem integrados.
Tem um bom fim de semana, querida amiga Maria.
Beijo.

Lilá(s) disse...

Desejo-te um bom fim de semana, com muito sol, e muita poesia.~
Bjs

São disse...

Obrigada por me fazeres mais rica em conhecimento, rrrs

Boa semana, Maria

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Somos pequenos em muitas coisas...menores que uma árvore...do que um edifício...menores do céu imenso que nos cobre; no entanto a cor desta nossa pequenez pode ser o azul claro dos céus...o verde das árvores.. e as cores alegres de qualquer edifício; no que diz respeito ao tamanho, belos são tanto os grandes quanto os pequenos e todas as cores nos ficam bem. O que não podemos é permitir que o negro da pequenez de certas atitudes nos invada, pois o mundo está a deixar-se contaminar pela pequenez de ideias e atitudes. Beijinhos e obrigada por partilhares mais esta cor.
Emília

AC disse...

A pequenez necessária para entender e abraçar o mundo.

Beijo :)

Mariazita Azevedo disse...

Boa tarde, Maria
Sendo Daniel Faria, essencialmente, um teólogo, acredito que, ao falar de pequenez, se refira ao tamanho que foi necessário a vida dar-lhe (em sentido figurado, é claro!) para que ele pudesse entender melhor o seu sentido.

A imagem é muito bonita e condizente com o poema.

Que tenhas um bom fim de semana, querida. (parece que o tempo vai melhorar; neste momento, aqui, chove torrencialmente...)

Beijinhos
Mariazita
(Link para o meu blog principal)