Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi




A _ cor _ dar , é preciso !


segunda-feira, dezembro 08, 2014

Côr de a carta




















Enrique  Buenaventura  estava  bebendo  rum  numa  taverna  do  Cali ,  quando   um  desconhecido  se  aproximou  da  mesa . O   homem  se  apresentou ,  era  pedreiro  de  ofício .  
_Perdoe  o   atrevimento ,  desculpe  o  incómodo . . .
_  Preciso  que  o   senhor   escreva   para  mim .  
Uma  carta  de  amor .
_  Eu ? 
_ É  que  me  disseram  que  o  senhor  sabe .
Enrique  não   era  um  especialista ,  mas  inchou  
o   peito .
O  pedreiro  explicou   que  não  era  analfabeto . . .
_ Eu  sei  escrever ,  isso  eu   sei. Mas  uma  carta  
assim ,  não  sei .
_ E  para   quem  é  a  carta  ?
_ Para . . . ela .
_ E  o  que  o  senhor  quer  dizer ?
_ Se  eu  soubesse  não  precisava  pedir .
Enrique  coçou  a  cabeça .
Naquela  noite ,  pôs  mãos  à  obra .
No  dia   seguinte  o  pedreiro  leu  a   carta ...
_   Isso  _  disse ,  e  seus  olhos  brilharam , era  isso  mesmo .
Mas  eu  não  sabia  que  era  isso  o  que   eu   queria  dizer .




Eduardo  Galeano Bocas  do  tempo ]

imagem _  net _

6 comentários:

São disse...

Também gosto muitoooo de Galeano!

Abraço enorme , Maria, bom feriado para ti :)

Luis Filipe Gomes disse...

Temos de escrever mais cartas. Para não perder a mão, e se possível cair no ridículo...

AC disse...

Até onde pode chegar a dimensão duma carta...! Ela poderá ter mil e uma faces, depende sempre de quem a escreve e/ou de quem a leia.

Um beijo, Maria :)

Emília Pinto disse...

Mas que linda cor, esta, Maria. Cor de amor, cor de carta, cor de saudade. Ainda me lembro das longas cartas de amor escritas ao que hoje é meu marido quando ele estava na Guiné, no serviço militar. E depois, a ansiosa espera pela resposta que chegaria, sempre com muito atraso. Além de vir da Guiné, naquele tempo não havia correio azul. Obrigada, amiga por esta volta ao passado. Beijinhos e que o Natal seja em todos os dias da tua vida. A cada dia que nasce deveríamos considerá-lo Natal.
Emília

GL disse...

Uma cor que urge reencontrar, reaprender "saborear". Não há meio nenhum que substitua a magia da carta.
Bjs

GL disse...

Uma cor que urge reencontrar, reaprender "saborear". Não há meio nenhum que substitua a magia da carta.
Bjs