A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

segunda-feira, janeiro 21, 2008

Côr de infinito .



Saudades de saudades que não tenho ...
Sonhos que são os sonhos dos que eu tive ...

Vou sendo agora em ti a sombra leve
De alguém que dobra a curva duma estrada ...

São os teus braços dentro dos meus braços,
Via Láctea fechando o infinito.

Ah ! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus ... Princípio e Fim .!


Florbela Espanca

2 comentários:

Luis disse...

A Florbela Espanca tinha um amor
E esse amor sou eu e és tu.
Porque o amor na sua poesia
È de todos e não é de nenhum,
Porque vive, e todos os dias se cria.

lilazdavioleta disse...

É ... Eu queria amar, amar perdidamente.
Amar só por amar aqui além
( ... )
... e não amar ninguém. !