A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

sábado, dezembro 11, 2010

Côr de vida ... de cães .



As duas histórias que se seguem são rigorosamente verdadeiras e têm a ver com cães especiais , sem raça defenida , cães fura vidas , e são monumentos a uma pequena liberdade de quatro patas .

A primeira fala de uma cadela que ocupou as manchetes dos jornais espanhois .
Durante onze anos tentaram infrutivamente apanhar a cadela de cor castanha .Não pedia nem olhava com expressão faminta . Simplesmente agradecia a genorizade das pessoas com discretos movimentos do rabo . Escapava sempre dos laços e redes , e quando se via a salvo ladrava feliz por ser livre . Mas uma tarde não conseguiu safar-se da rede .
Nunca uma cadela recebeu tantos pedidos de adopção . Parecia que todos os habitantes de San Sebastián a queriam . O seu cativeiro durou apenas dois dias . Assim , foi entregue a uma familia que não quis mudar seus hábitos . La Negra continua a dar os seus passeios , a brincar ... e a exibir no pescoço uma coleira que a identifica como cadela com morada conhecida .
O outro animal , um cão chamado Chiquito , não teve tanta sorte . Há sete anos que andava pelo centro de Santa Fé, e teve a infeliz ideia de meter o focinho num saco de plástico que tinha dono . Um individuo iracundo , que parou numa esplanada e deixou o saco no chão .
Chiquito não não roubou nem provou a carne , somente cheirou , mas isso bastou para que o individuo lhe desse um par de pontapés . Chiquito defendeu - se , e embora não tivesse conseguido mordê - lo , rasgou - lhe as calças .
Chiquito foi capturado pela policia . O energúmeno das calças rotas exigiu que o matassem . Os policias de Santa Fé negaram - se , e , então o sujeito denunciou a agressão ao tribunal .
Houve julgamento e Chiquito foi declarado culpado por ter causado lesões leves ao miserável que o agredira , e passou seis anos preso numa esquadra .
Até à pouco , a página _ Liberdade para Chiquito _ mostrava milhares de assinaturas que pediam a sua liberdade , ou um julgamento justo .
Chiquito morreu na prisão , aos dezoito anos . Os policias que cuidavam dele afirmam que , até ao ultimo dia , olhava para a rua e suspirava com a tristeza digna dos que sabem perder .

Tenho dois pastores alemães , e ás vezes sento - me no jardim e conto - lhes histórias .
Gostaram da história de La Negra , mas a do Chiquito , não sei se lhes contarei algum dia .



Luis Sepúlveda _ histórias daqui e dali [ esta com pequenos cortes ] _
Elisabeth H. O´Connor

Sem comentários: