A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

quinta-feira, julho 06, 2017

Côr de noite fora . . .


























Dissolvo-me na sombra da paisagem ,
separo-me de nós , de mim , serei só quase
a chama no carvão que fica ardendo
noite fora , noite fora .
Acordaremos , já sei , transparentes e sábios ,
do outro lado da criação do mundo .

uma mão presa à luz , outra nas trevas ,
um só tronco de chamas , uma asa .




António  Franco  Alexandre  _  Poemas  ,  A .  &  A .  _
imagem  _   Michel Ogier _

2 comentários:

Emília Pinto disse...

E se fossemos pedras, não questionavamos, não pensávamos, não sentiamos as pisadas dos outros; pedras não sentem a noite escura, fria, noites solitárias,muitas vezes até pelas estrelas abandonadas. Mas...não há " corações de pedra " ? Escondem-se eles, cobardemente, ao contrário das pedras que ficam muito visiveis; só tropeça nelas, só as pisa quem não caminha com cautela; não enganam, as pedras, já os corações. ....
Lindos e profundos, Maria! Obrigada. Um beijinho
Emilia

AC disse...

A barca da lucidez tem um preço, quem nela embarca sabe perfeitamente que, por vezes, o alimento se resume à dignidade.

Um beijinho, Maria :)