A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

terça-feira, julho 14, 2009

Côr de ser ave .



A
boca ,
onde o fogo
de um verão
muito antigo
cintila ,

a boca espera . . .
Que pode uma boca
esperar
senão outra boca ...

Espera o ardor
do vento ,
para ser ave ,

e
cantar !


Eugénio de Andrade

2 comentários:

Luis Filipe Gomes e Silvia Cunha Pedro disse...

Eu não gostava nem gosto daquele personagem que era o E. A.! Muito "Fontinhas envergonhadas", muito "passinhos de Gueixa", muito "reratos de como eu sou lindo", e depois aparecem-me coisas destas como a que tu escolheste em que só no final é que consigo ver por quem foi escrita, e pumba!...
Toma lá um sôco no estômago para não seres preconceituoso!
-É grande ou não é??
É!!!!!!!! sinceramente é! E não porque eu diga! É grande porque fez por isso sem cedências.
Hoje estou irritado. Ainda bem que a tua boca encontrou esta ave.
Luís

maria disse...

Luis,
como é bom levarmos " sôcos no estômago " .
Estamos vivos , abertos e prontos a sermos surpreendidos .
A minha Mãe ensinou-me , sem retóricas , mas com actos , que um homem é um mundo , e que tem sempre , por pouco que seja ,algo aproveitável .( mas Ela era uma sábia . Daquelas que nem sabem que o são )
A semente ficou .
Vou tentando . Não com o seu desprendimento e aceitação .

E isto tudo para dizer que quero ser surpreendida , até morrer .

Entretanto, de quando em vez , vou oferecer -te E. A .
Não sou fanática por ele , mas há mta coisa que gosto.
E tenho uma vantagem . Conheço melhor a escrita que a personagem .
Bem ... e achei uma delicia os piropos que lhe dirigiste .
Olha e ñ fiques irritado . Ficas com rugas . As da cara não são importantes , mas as da alma sim .
Beijo