A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

segunda-feira, junho 15, 2009

Côr de ter estofo .



_ Quem ? O infinito ?
Diz-lhe que entre .
Faz bem ao infinito , estar entre gente .

_ Uma esmola ? Coxeia ?
Ao que ele chegou !
Podes dar-lhe a bengala que era do avô .

Dinheiro ? Isso não !
Já sei , pobrezinho que em vez de pão ia comprar vinho ...

Teima ? Que topete !
Quem se julga ele , se um tigre acabou nesta sala em tapete ?

_ Para ir ver a mãe ? Essa é muito forte !
Ele não tem mãe e não é do norte ...

_ Vítima de quê ?
O dito está dito .
Se não tinha estofo ...
Quem o mandou
ser
infinito ?!


Alexandre O' Neill

2 comentários:

Luis Filipe Gomes e Silvia Cunha Pedro disse...

Eu acho que não liguei ao Variações quando ele apareceu. O aspecto estranho talvez me tenha afastado. Curiosamente lembro-me que nessa altura estava a descobrir o Gershwin nas interpretações do Tylson Thomas.
Agora deixei de ouvir o Gershwin e aprecio as coisas do Variações.
Não te aborreças por eu estar a misturar os dois. Eu depois do G. passei para o Cole Porter. Muito mais popular, como o Variações.
Sobre o infinito:
Eu às vezes até me descai o pé para aquele imaginário fantástico, não é bem surrealismo,... mas ao pé desses dois (O'Neil, Escher) resta-me aprender.
Realmente M de muito não soa bem. Mas M de maravilhosa era abusivo da minha parte ainda que verdadeiro sem dúvida.
Luís

Lilazdavioleta disse...

Luis ,
Gosto muito de gershwin , mas como ñ sou de fanatismos , em relação a tudo , gosto de outros compositores . Cole Porter é um deles .Tenho um album com interpretações de Ella Fitzgerald ,que é bom e comprei , há pouco tempo " the essencil Cole Porter " .
Usando uma frase de Castaneda " tudo que faça bater o coração , ñ se deve perder ". E eu tento ...
Qto ao imaginário fantástico ... a mim ñ me descai o pé ... toda eu me descaio .

Mto obrigada pelas palavras :)

Um beijo ,

Maria