A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

sexta-feira, março 02, 2012

Côr de mar













Quando eu morrer voltarei para buscar
os instantes que não vivi junto do mar.

 Sophia de Mello Breyner
Bengoossen


Eu  ,  pelo  contrário  __________  virei   trazer  os   que  vivi     
para ,
os    oferecer   _________________________
 a   quem   nunca   o  viu   .

4 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*
mergulho,
na côr de mar,
de Sophia !
,
conchinhas,
em arco-iris, deixo,
*

Luis Filipe Gomes disse...

Gosto imenso desta poesia a duas mãos; não sei como lhe hei-de chamar, esta pergunta e resposta como numa sinfonia; esta tese e antítese fazem-me reflectir na proposta inicial de Sophia e na tua própria proposta. É deveras um estimulante desafio intelectual e emocional.

Margarida disse...

Eu tenho saudades... devia vê lo mais vezes! Bom fim de semana, minha querida!

São disse...

Parabéns: adorei, principalmente a continuação e a generosidade do complemento ao poema de Sofia, que já conhecia.

Um abraço.


SE pedir a Carlos Barbosa dono do interessante "Crónicas do Rochedo" lhe dirá certamente como tirar as letras, pois ele conseguiu retirar as dele.

Um bom fim de semana