A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

sexta-feira, fevereiro 12, 2010

Côr de ôôôôi fia .



Dói-me a cabeça aos trinta e nove anos.
Não é hábito.

É rarissimamente que ela dói.
Ninguém tem culpa.

Meu pai , minha mãe descansaram seus fardos,
não existe mais o modo
de eles terem seus olhos sobre mim.
Mãe, ô mãe, ô pai, meu pai. Onde estão escondidos
?

É dentro de mim que eles estão.
Não fiz mausoléu pra eles, pus os dois no chão.
Nasceu lá, porque quis, um pé de saudade roxa,
que abunda nos cemitérios.
Quem plantou foi o vento, a água da chuva.
Quem vai matar é o sol.
Passou finados não fui lá , aniversário também não.
Pra quê ,
se
pra chorar qualquer lugar me cabe?
É de tanto lembrá-los que eu não vou.
Ôôôô pai
!

Ôôôô mãe
!

Dentro de mim eles respondem

tenazes e duros ,
porque o zelo do espírito é sem meiguices ...
Ôôôôi fia
!


Adélia Prado



É sabido, acontece com todos. Em dado momento , esbarramos com algo escrito como se fosse para nós ou por nós .
Será que o pássaro da alma , nos seus voos , tem a ver ... ?

É isso filhona .
Obrigada Mãezona !

5 comentários:

Bergilde Croce disse...

E quantos filhos não sentem esse mesmo pesar!!!Belíssima e profunda reflexão.Abraços da Itália,Bergilde

Luis disse...

Pois é amiga.
Aqui há dias estava no meio de um sonho e senti que estava em falta para com os meus pais. Há um horror de tempo que eu não lhes ligava, pois tinha o habito de lhes telefonar quase todos os dias. Apreensivo, fui logo ligar ao meu irmão para me desculpar de tão grande falta. Peguei no telemóvel e preparava-me para lhe ligar quando se fez luz no meu espírito; como não havia eu de lhes ligar se do lado de lá, onde eles estão, e eu hei-de estar, não há telefones e as comunicações fazem-se à luz de uma outra luz. Depois, não me chegou nenhuma saudade nem nenhum sentimento de culpa, antes a constatação
que a vida é assim, umas vezes cá outras vezes lá.
Bjs
Luis

Lilazdavioleta disse...

Bergilde ,

Obrigada .

Um beijo ,

Maria

Lilazdavioleta disse...

Amigo Luis ,

é isso " à luz de outra luz ".
Mas interessante é que quando há dias acordei com esse chamado , " "filhona " , o dia correu melhor e tive necessidade de ser forte como Ela sempre foi .
Sabes , há duas mulheres a quem devo muito Ela é uma delas .
Não é saudade . É respeito e admiração por Úma Sábia Nata .

Obrigada pela visita .
Um beijo,
Maria

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Algumas passagens nos tocam mesmo, como se soubessem ser pra nós. E que a saudade venha, na maioria das vezes, nos acalmar.

até mais.

Jota Cê