A _ cor _ dar , é preciso !






Temos de nos tornar na mudança que queremos ver.

Mahatma Gandhi

domingo, outubro 04, 2009

Côr de animal .



Ser o homem-aranha não me tenta,
prefiro a vida táctil dos insectos
que ainda na morte se conservam puros,
assim na estante , entre os melhores objectos.
Somos , da criação , os mais intactos
vestígios e sinais , e ainda nos sobra
uma dura memória milenar
no minério dos nossos corpos secos .
O mero escaravelho sabe mais
do mover-se da areia na ampulheta
do que os humanos todos em colégio.
Triste sina porém é não poderes
suportar os contactos animais ,
fazer-te comichão , teres alergia ,
e quereres escalar os edifícios
com ventosas e outros artifícios
de que me rio, às vezes, quando cais.
Tivesse eu carnes , osso, e pele,
talvez tu me abraçasses , carinhoso,
embora assuste a ideia de servir-te
de entrada fria em singular almoço.
E quem me diz que , belo então que fosse ,
conservaria ainda o privilégio
de me sentar no teu joelho, e ver
os exactos mistérios do teu sexo
?

António Franco Alexandre

Suponho que ninguém põe em causa o chamar-se animal a um insecto .
Alguns são de uma beleza rara , se os olharmos sem animosidade . Lalique assim o fez.
Se pensarmos um pouco , talvez não seja própriamente repugnância o que alguns seres humanos têm por estes seres , mas medo misturado com respeito .
É que eles possuem atributos que nós ainda buscamos , sem a certeza do seu encontro .

Sem comentários: